Curiosidades

6 Mitos sobre a pipoca

Mitos sobre a pipoca
Escrito por Emílio

Quando se fala em vida saudável, estamos sempre procurando novas informações para escolher nossa alimentação. Existe uma grande quantidade de informações em blogs, canais do Youtube ou Instagram, o que pode ser muito útil. Mas também existe muita informação errada por ai. E obviamente, hora ou outra encontramos informações que não passam de mitos sobre a pipoca.

E nós, do Clube da Pipoca, estamos trabalhado em conjunto com cientistas, agrônomos, nutricionistas e agências de saúde para garantir que se trata de um produto seguro. Para ajuda-los a esclarecer este problema, separamos alguns mitos sobre a pipoca que você precisa saber:

A Pipoca Transgênica (Milho Geneticamente Modificado / GMO)

Muita gente tem alguma ideia do que são transgênicos, mas mesmo assim não entende bem a definição. De acordo com especialistas, transgênicos são organismos vivos modificados em laboratório.

Dessa maneira, o código genético de uma espécie é alterado com introdução de novos genes provenientes de uma outra espécie. A nova sequência de DNA faz com que estes organismos desenvolvam uma nova característica ou também produza novas substâncias.

Não existe até agora nenhuma espécie de pipoca geneticamente modificada a venda, atualmente, nos mercados Norte Americanos. Além disso, o conselho de produtores de pipoca do EUA não tem conhecimento de nenhum tipo de pipoca ou sementes transgênicas disponível nos mercados internacionais.

No Brasil, todos os produtos geneticamente modificados, devem conter um T dentro de um triângulo amarelo em sua embalagem.

Fonte: Fatos Desconhecidos e PopCorn.org

Mito: Pipoca tem glúten

Claro que não! Pipoca não contém glúten. Nada mesmo!

Inclusive, várias pessoas com restrição a glúten (celíacos) podem contar com a pipoca como uma ótima opção de alimento integral. Mas atenção: Alguns outros ingredientes utilizados em pipoca prontas ou pipocas de microondas podem conter glúten. Então recomendamos sempre verificar atentamente as informações nutricionais nas embalagens.

Mito: Pipoca de microondas faz mal para o pulmão

O Diacetil, é um ingrediente industrializado que pode ser encontrado na natureza em pequenas concentrações na cerveja, café, mel e frutas. Na indústria alimentícia, diacetil é utilizado em uma grande quantidade de alimentos como manteiga, queijo industrializado, leite, farinha biscoitos, etc.

O aditivo diacetil, antigamente usado para saborizar a pipoca de microondas NÃO é mais utilizado nestes alimentos desde 2006.

De qualquer forma, escolha não ingerir este alimento de fabricantes que insistem em utilizar este elemento. Priorize SEMPRE pipocas não industrializadas.

Fonte: PopCorn.org

Mito: Pipoca engorda

Pipoca é um alimento integral, o que há torna uma boa opção de carboidatros. Alimentos integrais contém fibras, um alimento fundamental do nosso dia a dia. Pipoca não tem açúcar, nem aditivos artificiais, conservantes e tem baixa caloria. Pipoca não engorda nem faz mal, justamente o oposto.

Mito: Pipoca de microondas tem PFOA.

O ácido perfluorooctanoic (PFOA) algumas vezes é usado em grande escala para colar papel, caixas de pizza e outras embalagens. A indústria de embalagens, em 2006, após descobrir que este elemento químico pode fazer mal, removeu e baniu o PFOA de seus produtos.

Fonte: PopCorn.org

Mito: Você pode usar qualquer papel para fazer pipoca no microondas

A moda de fazer pipoca fitness de microondas, é uma tendência cada vez maior. Mas não é recomendado utilizar qualquer tipo de saco ou papel para isto. Papéis reciclados, ou saco de pão podem utilizar materiais inflamáveis ou que podem interferir no funcionamento do microondas.

Mas o mais importante disso tudo, é que alguns sacos podem conter materiais tóxicos quando aquecidos. Recomendamos que você sempre utilize embalagens apropriadas e compartimentos seguros para microondas ao fazer pipoca light.

Conhece algum outro mito sobre pipoca? Compartilhe nos comentários que investigamos para você.